domingo, 15 de janeiro de 2012

A história de Jó, seu sofrimento, e o proposito de Deus.

A Fidelidade, o temor e a obediência de Jó.

Nobre leitores (as) quero falar a vocês um pouco sobre a história de Jó, de seu sofrimento, sua luta; mas que em momento algum ficou ou blasfemou contra “Deus”.
           “Deus” conhecia a fundo Jó, e que conhece a cada um de nós, mesmo antes de nascermos:
O diabo que anda ao derredor do mundo procurando e buscando quem ele possar tragar, devorar, destruir. Um dia ele chegou até “ Deus” e disse que Jó não suportaria ser tocado, ou se perdesse algo tipo: família, saúde, bens, a paz, e os amigos, ele blafemaria. “Deus” tinha a certeza de que Jó não o decepcionaria! E realmente isto não aconteceu. Então Satanás, diabo etc pediu a “Deus” permissão para tocar em Jó, menos em sua vida. O livro de Jó contem 42 capitulos de muito sofrimento, tortura e muita dor; mas Jó permaneceu firme e fiel a “Deus”
Jó era um dos homens mais ricos da terra naquela época: com a permissão de “Deus” Jó começou a sofrer e padecer enfermidades, e humilhações, pois Satanás achou que ele blasfemaria. Primeiro foi suas criações, e veio a morte sobre sua família; mas Jó não murmurou e nem blasfemou contra “Deus”,e disse assim Jó:1. “21  E disse: Nu saí do ventre de minha mãe e nu tornarei para lá; o Senhor o deu, e o Senhor o tomou: bendito seja o nome do Senhor.22  Em tudo isto Jó não pecou, nem atribuiu a Deus falta alguma.”
Esta não era a resposta que Satanás gostaria de ter ouvido! Mas assim era Jó; fiel, temente e obediente e que amava e adorava somente a “Deus”. As coisas ruins contra Jó continuaram acontecendo: ainda com a permissão de “Deus”, as enfermidades atacaram o corpo de Jó, que foi ferido de úlceras malignas da planta dos pés a cabeça; mas mesmo assim ele, não blasfemou contra “Deus”. Sua mulher disse assim a ele: Veja o que disse Jó a ela! Jó.2. “9  Então sua mulher lhe disse: Ainda reténs a tua sinceridade? Amaldiçoa a Deus, e morre. 10  Porém ele lhe disse: Como fala qualquer doida, falas tu; receberemos o bem de Deus, e não receberíamos o mal? Em tudo isto não pecou Jó com os seus lábios.”
           Depois disto vieram seus três amigos se condoerem com seu sofrimento que era muito grande.
Jó chegou até amaldiçoar o dia em que nascera, mas não imputou nada contra “Deus”, permaneceu firme em não blasfemar. Jó cap.3. “1  Depois disto abriu Jó a sua boca, e amaldiçoou o seu dia.2  E Jó, falando, disse: 3  Pereça o dia em que nasci, e a noite em que se disse: Foi concebido um homem!4  Converta-se aquele dia em trevas; e Deus, lá de cima, não tenha cuidado dele, nem resplandeça sobre ele a luz. 5  Contaminem-no as trevas e a sombra da morte; habitem sobre ele nuvens; a escuridão do dia o espante!”                                                                                                       Seus amigos o repreendiam e o exortam a buscar a “Deus”
O sofrimento de Jó para um ser humano comum, nem chega perto apenas do sofrimento de “Jesus”, que foi muito maior. Mas Jó permaneceu firme e fiel a “Deus” seus amigos bombardeavam a Jó com palavras: Jó  confessa a justiça de “Deus” e pede alivio para sua miséria. Dizia assim Jó, cap. 10. 2  Direi a Deus: Não me condenes; faze-me saber por que contendes comigo.3  Parece-te bem que me oprimas, que rejeites o trabalho das tuas mãos e resplandeças sobre o conselho dos ímpios? 4  Tens tu porventura olhos de carne? Vês tu como vê o homem? 5  São os teus dias como os dias do homem? Ou são os teus anos como os anos de um homem, 6  Para te informares da minha iniqüidade, e averiguares o meu pecado? 7  Bem sabes tu que eu não sou iníquo; todavia ninguém há que me livre da tua mão.8  As tuas mãos me fizeram e me formaram completamente; contudo me consomes.9  Peço-te que te lembres de que como barro me formaste e me farás voltar ao pó.10  Porventura não me vazaste como leite, e como queijo não me coalhaste? 11  De pele e carne me vestiste, e de ossos e nervos me teceste. 12  Vida e misericórdia me concedeste; e o teu cuidado guardou o meu espírito. 13  Porém estas coisas as ocultaste no teu coração; bem sei eu que isto esteve contigo.14  Se eu pecar, tu me observas; e da minha iniqüidade não me escusarás. 15  Se for ímpio, ai de mim! E se for justo, não levantarei a minha cabeça; farto estou da minha ignomínia; e vê qual é a minha aflição, 16  Porque se vai crescendo; tu me caças como a um leão feroz; tornas a fazer maravilhas para comigo.17  Tu renovas contra mim as tuas testemunhas, e multiplicas contra mim a tua ira; revezes e combate estão comigo.18  Por que, pois, me tiraste da madre? Ah! se então tivera expirado, e olho nenhum me visse!19  Então eu teria sido como se nunca fora; e desde o ventre seria levado à sepultura!20  Porventura não são poucos os meus dias? Cessa, pois, e deixa-me, para que por um pouco eu tome alento.21  Antes que eu vá para o lugar de que não voltarei, à terra da escuridão e da sombra da morte; 22  Terra escuríssima, como a própria escuridão, terra da sombra da morte e sem ordem alguma, e onde a luz é como a escuridão.”
No cap. 11, seu amigo Zofar rereende Jó e mostra a sabedoria de Deus, e exorta-o ao arrependimento. No cap. 12, Jó se defende das acusações de seus amigos. Jó confia em “Deus” e deseja conhecer seus pecados.
Jó. 13. “14  Por que razão tomarei eu a minha carne com os meus dentes, e porei a minha vida na minha mão? 15  Ainda que Ele me mate, nEle esperarei; contudo os meus caminhos defenderei diante dEle. 16  Também Ele será a minha salvação; porém o hipócrita não virá perante Ele.17  Ouvi com atenção as minhas palavras, e com os vossos ouvidos a minha declaração.18  Eis que já tenho ordenado a minha causa, e sei que serei achado justo.19  Quem é o que contenderá comigo? Se eu agora me calasse, renderia o espírito. 20  Duas coisas somente não faças para comigo; então não me esconderei do teu rosto:21  Desvia a tua mão para longe, de mim, e não me espante o teu terror.22  Chama, pois, e eu responderei; ou eu falarei, e tu me responderás.23  Quantas culpas e pecados tenho eu? Notifica-me a minha transgressão e o meu pecado.”
Jó roga o favor de “Deus” por causa da miséria humana: e seus amigos continuam lhe acusando, mas Jó permanece firme no proposito de não blasfemar contra ‘Deus”. Jó acusa seus amigos por falta de compaixão e misericórdia no cap. 16:  cap. 17. Jó reclama que esta cercado de zombadores.
Cap. 18; seu amigo Bildade o acusa de presunçoso e impaciente, mas Jó permanece firme em “Deus”
Cap. 19. Os amigos de Jó são muito duros com ele.
No cap. 21; Jó mostra que os ímpios, os pecadores também prosperam. Mas eles não vao muito longe; pois a prosperidade dos ímpios é passageira. Jó.21. “13  Na prosperidade gastam os seus dias, e num momento descem à sepultura. 14  E, todavia, dizem a Deus: Retira-te de nós; porque não desejamos ter conhecimento dos teus caminhos.15  Quem é o Todo-Poderoso, para que nós o sirvamos? E que nos aproveitará que lhe façamos orações?16  Vede, porém, que a prosperidade não está nas mãos deles; esteja longe de mim o conselho dos ímpios!17  Quantas vezes sucede que se apaga a lâmpada dos ímpios, e lhes sobrevém a sua destruição? E Deus na sua ira lhes reparte dores! 18  Porque são como a palha diante do vento, e como a pragana, que arrebata o redemoinho.19  Deus guarda a sua violência para seus filhos, e dá-lhe o pago, para que o conheça.20  Seus olhos verão a sua ruína, e ele beberá do furor do Todo-Poderoso.”  Os demais capítulos, não mudaram, era Jó se defendendo de seus amigos.
           Os tres amigos de Jó não param de bombardeá-lo com acusações. Jó lamenta seu primeiro estado, e descreve o estado em que caiu, ele declara sua integridade nos seus deveres. “Deus” responde a Jó, e manda-o interceder em favor de seus amigos, para que a ira de “Deus” não se acenda sobre eles. Jó se humilha perante “Deus” e pede a Ele que lhe ensine. Depois de todo o sofrimento de Jó que durou por muitos anos, que eu não tenho como informá-los, pois a Bíblia não fala de quanto tempo foi. Mas o cativeiro de Jó foi revertido, e “Deus” devolveu a ele tudo em dobro de tudo que ele havia perdido. Seus bens, seus amigos, sua família foi novamente refeita, tendo ele novos filhos (as)
Veja como terminou o livro de Jó no cap. 42 “1  Então respondeu Jó ao Senhor, dizendo:2  Bem sei eu que tudo podes, e que nenhum dos teus propósitos pode ser impedido. 3  Quem é este, que sem conhecimento encobre o conselho? Por isso relatei o que não entendia; coisas que para mim eram inescrutáveis, e que eu não entendia. 4  Escuta-me, pois, e eu falarei; eu te perguntarei, e tu me ensinarás.5  Com o ouvir dos meus ouvidos ouvi, mas agora te vêem os meus olhos. 6  Por isso me abomino e me arrependo no pó e na cinza.
Deus manda os amigos de Jó ir ter com ele e oferecer sacrifícios: 7  Sucedeu que, acabando o Senhor de falar a Jó aquelas palavras, o Senhor disse a Elifaz, o temanita: A minha ira se acendeu contra ti, e contra os teus dois amigos, porque não falastes de mim o que era reto, como o meu servo Jó. 8  Tomai, pois, sete bezerros e sete carneiros, e ide ao meu servo Jó, e oferecei holocaustos por vós, e o meu servo Jó orará por vós; porque deveras a ele aceitarei, para que eu não vos trate conforme a vossa loucura; porque vós não falastes de mim o que era reto como o meu servo Jó. 9  Então foram Elifaz, o temanita, e Bildade, o suíta, e Zofar, o naamatita, e fizeram como o Senhor lhes dissera; e o Senhor aceitou a face de Jó.
                     Deus confere a Jó o dobro da prosperidade que antes tinha:
10  E o Senhor virou o cativeiro de Jó, quando orava pelos seus amigos; e o Senhor acrescentou, em dobro, a tudo quanto Jó antes possuía.11  Então vieram a ele todos os seus irmãos, e todas as suas irmãs, e todos quantos dantes o conheceram, e comeram com ele pão em sua casa, e se condoeram dele, e o consolaram acerca de todo o mal que o Senhor lhe havia enviado; e cada um deles lhe deu uma peça de dinheiro, e um pendente de ouro. 12  E assim abençoou o Senhor o último estado de Jó, mais do que o primeiro; pois teve catorze mil ovelhas, e seis mil camelos, e mil juntas de bois, e mil jumentas. 13  Também teve sete filhos e três filhas. 14  E chamou o nome da primeira Jemima, e o nome da segunda Quezia, e o nome da terceira Quéren-Hapuque. 15  E em toda a terra não se acharam mulheres tão formosas como as filhas de Jó; e seu pai lhes deu herança entre seus irmãos.16  E depois disto viveu Jó cento e quarenta anos; e viu a seus filhos, e aos filhos de seus filhos, até à quarta geração.17  Então morreu Jó, velho e farto de dias.
A história de Jó amigo leitor (a) deve ser lida na sua totalidade, na integra, ela parece ser uma
História muito triste, mas não é: “Deus” sabia que Jó suportaria todo aquele sofrimento, e que foi permitido por Ele, para mostrar a Satanás que, quem tem “Deus, e acredita nEle”, suporta e supera todas as adversidades, dificuldades, tristezas, sofrimentos, amarguras e decepções sim. O sofrimento de Jó, somente “Jesus” aguentou; pois seu sofrimento foi ainda maior e muito pior. Pois “Ele” teve que morrer e depois descer as profundezas do inferno, e vencer a morte que pertence ao diabo; pois em “Deus através do Filho Jesus” há vida. Se hoje você está sofrendo qualquer tipo de enfermidade, lembre-se sempre que houve alguém que já sofreu as piores, para que você receba a salvação, a libertação e a cura de todos os males.
Jó não padeceu e não sofreu em vão: tudo para “Deus” tem um propósito. Seus sofrimentos, não são seus sofrimentos! Pois “Jesus” levou sobre Si todas nossas dores e enfermidades naquela morte de Cruz. Pense nisto antes de se lamentar, de blasfemar, murmurar, ou xingar. Pergunte a “Deus” para que, e nunca por quê? Tente não questionar xingando, murmurando contra “Deus”
           O caso de Jó não é o único: é um exemplo para nós muito ruim, mas que tem de “Deus” um propósito. E o propósito maior é: que “Deus” cresça em nós, e nós diminuamos. Nós podemos ter o melhor desta terra sim, mas o principal tem que ser “Deus, através do Filho Jesus Cristo”. Veja novamante o exemplo de Jó: ele tinha tudo e era fiel, temente e obediente a “Deus”, mas que perdeu tudo; e que permaneceu no firme propósito de não acusar, imputar a “Deus”, seus sofrimentos. Sua fidelidade deu a ele duas coisas: a vitória em tudo, e a vida eterna ao lado do “Pai, Deus”. Esta vitória também poderá ser sua, desde que Hoje “Jesus” seja o Primeiro em sua vida, mesmo nos piores momentos. Este sofrimento de Jó, hoje não é mais necessário; pois “Jesus” passou por você na morte de Cruz, e ressurreição no terceiro dia.
Este é mais um daqueles temas que Jesus tem me abençoado, para que eu lhes mostre. Tudo aqui tem confirmação bíblica, portanto, tudo verdadeiro. Não queira questionar nada que venha de “Deus”, pois Ele sabe todas as coisas. O dia em que você tiver tudo de “Deus” é porque “Deus” teve tudo de você. Não queira tudo de “Deus” sem dar a Ele tudo de você. Jó teve tudo de “Deus”, mas Ele deu a “Deus” tudo de si.  “Deus” não quer a desgraça de ninguém; “Ele” quer sim que todos diminuam e Ele cresça em cada um de nós.
Escrito por José Carlos Ribeiro, membro da PiB de Campo Grande MS.
Formado em Capelania prisional e hospitalar, e escritor evangélico ainda desconhecido para o mundo, mas já bastante conhecido por “Deus”
Campo Grande 15 de Janeiro de 2012   carlosribeiro-@hotmail.com



3 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir